Com o uso de dados, CPFL Energia reduz horas extras e mitiga risco trabalhista

Fhinck e CPFL

“Sem dados, o acompanhamento do fluxo da jornada era baseado apenas na observação, ou seja, nas atividades digitais que continuavam mesmo após o encerramento do horário de trabalho.”

Álvaro Ferreira, Coordenador de Qualidade e Processos do CSC na CPFL Energia.

  • 450 COLABORADORES
  • CLIENTE FHINCK DESDE 2020

REDUÇÃO DE 91% DE HORAS EXTRAS

 

O trabalho remoto, ao passo que favoreceu um ganho maior de tempo para os colaboradores, também trouxe desafios para as empresas – alguns inimagináveis, como fazer a gestão de pessoas à distância. Acompanhar a jornada, supervisar demandas, fluxo de informações, identificar possíveis sobrecarga de trabalho nos times, e até se o funcionário está conseguindo se organizar para almoçar ou está imerso em várias reuniões por dia.

Levantamento realizado pelo escritório de advocacia LG&P, mostra que, de janeiro a junho deste ano, aumentou em 30% o número de processos trabalhistas imputados na Justiça do Trabalho, quando comparado com o mesmo período de 2020. A principal queixa é sobre recebimento de horas extras: 2 milhões de processos em andamento, que somam R$ 225 bilhões.

Diante deste cenário, como reduzir riscos e melhorar a qualidade de vida das pessoas? 

A CPFL Energia é exemplo de empresa que está revendo e aprimorando projetos de melhorias se antecipando a esses problemas. Após implantação do software da Fhinck, startup de alta tecnologia que ajuda as empresas na geração de dados sobre a jornada de trabalho dos colaboradores, e do ponto digital – que controla o acesso do funcionário ao computador integrado às ferramentas de folha, reduziu em 91% o número de horas extras desnecessárias (2h por dia) e, consequentemente, mitigou o risco de ações trabalhistas.

“Sem dados, o acompanhamento do fluxo da jornada era baseado apenas na observação, ou seja, nas atividades digitais que continuavam mesmo após o encerramento do horário de trabalho.”, explica Álvaro Ferreira, Coordenador de Qualidade e Processos do CSC na CPFL Energia. O executivo explica que seria impossível e humanamente inviável conhecer e saber a jornada dos 450 colaboradores alocados no CSC sem o uso da tecnologia. 

“Aprendemos a trabalhar na pandemia, mas isso impõe alguns desafios diários como quebrar a mentalidade que se criou ‘já que estou trabalhando de casa, posso postergar as horas e continuar trabalhando depois do expediente´, mas isso tem impacto na qualidade de vida de quem trabalha no modelo home office. Ao invés de termos pessoas saudáveis, produtivas e felizes, o efeito é justamente o contrário. Sem a ferramenta não teríamos como garantir que o colaborador não esteja conectado nas ferramentas de trabalho quando deveria estar com a família, descansando”, alerta Ferreira.

Além disso, reforça que todos os colaboradores sabem da implantação dos robôs (BOTs) e inteligência artificial, que ficam instalados nos computadores. “A partir do momento que a empresa é transparente e dá condições e liberdade para que o colaborador não se conecte fora do horário de trabalho, automaticamente e de forma natural, ele se conscientiza e passa a organizar melhor, se adapta ao padrão e vira uma rotina”, finaliza o profissional que é casado, gamer, motociclista e pai do Lucas Serafim.

 

Melhorias já notadas na jornada de trabalho CPFL 

– Redução de horas extras

– Tempo adequado em reuniões

– Identificação de lacunas entre jornada física e digital

– Identificação de Burnout

– Desempenho em Home-office

– Redução de horas-extras

 

Além do Ponto Digital, a Fhinck oferece ferramenta para a Gestão de Tarefas e Rotinas do dia a dia via assistente virtual (que ajuda o funcionário a fluir melhor). Incluindo gestão do fechamento mensal contábil que é essencial para todas as empresas que precisam reportar seus resultados periodicamente para seus acionistas. 

A opção de Timesheet contribui para que funcionários e os gestores a entendam qual o custo e tempo de seus principais processos. Já o Well-being que usa algoritmos para entender o dia a dia e recomenda ações de bem-estar baseado no comportamento do funcionário (evitando inclusive burnout)

Com o uso de dados, CPFL Energia reduz horas extras e mitiga risco trabalhista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para o topo
Translate | Traducir »